Santiago do Chile - Neruda tinha razão...

23 comments














Santiago é uma capital feita para ser percorrida a pé e onde o turista tem sempre um guia natural à disposição, como a cordilheira dos Andes, os cerros e o rio Mapocho. Uma outra opção é a avenida Libertador, a principal rua da cidade, que corta vários bairros e empresta o curso para a principal linha do metrô que, aliás, é abarrotado, mas silencioso. A oeste está o centro, com os Palácio de La Moneda e a Plaza de Armas. Pouco mais além, do outro lado do Mapocho, Bellavista e suas casas coloridas, que servem de palco para restaurantes turísticos e casas de jazz envolventes. Ainda mais além, atravessando novamente o rio, fica Providencia, outra zona boêmia, com ruas chiques comerciais. Envolvendo tudo, ruas limpas, jardins impecáveis, trânsito organizado, táxis razoáveis e um povo que adora os brasileiros.

 
E por falar no povo chileno, é importante que se diga o quão politizados são, principalmente quando comparados à nós brasileiros! Qualquer motorista de táxi ou de ônibus, garçons e vendedores ambulantes sabem discutir (e bem) sobre a política brasileira, sobre nossa econcomia, nossos planos sociais, sobre nossa dívida externa, nossas exportações e outras coisas mais. Vá perguntar a um brasileiro quem é o presidente do Chile, aliás, a presidenta, e não se assuste que nem mesmo 10% da população irá saber! Lá, 96% da população é alfabetizada e a grande maioria se interessa por novos conhecimentos e por um intercâmbio cultural com os turistas.... uma realidade bem diferente da nossa.
Nem tão charmosa quanto Buenos Aires nem pitoresca como La Paz, Santiago tem encantos de outra grandeza. É civilizada, moderna, histórica e bonita. Como lá não existe um emaranhado de edifícios altos (os prédios são mais baixos por precaução aos tremores de terra), assiste-se a uma imagem privilegiada dos montes cobertos de neve, claro que quando você estiver em um dos 5 dias do ano em que isso é possível... Parafraseando o poeta chileno Pablo Neruda (1904-1973), o Chile é um "país delgado" e pode-se afirmar o mesmo de sua capital, plana e de proporções miúdas, o que facilita o deslocamento inclusive a pé.

O primeiro passeio a ser feito em Santiago tem de incluir a subida de um morro. É preciso ser apresentado à cidade lá do alto: para contemplar a cordilheira e entender a arquitetura dos bairros. Para isso, é só escolher um dos cerros (colinas) que foram transformados em parques urbanos: o San Cristóbal e o Santa Lucia. O primeiro, chamado oficialmente de Parque Metropolitano de Santiago, é considerado o maior do Chile, com 712 hectares e um zoológico inteiro dentro dele. No topo, lembrando nosso Redentor, uma imagem de 14 metros da Imaculada Conceição. Para chegar ao alto, você pode subir de funicular (entrando pela calle Pio Nono) ou de teleférico (pela Pedro de Valdívia) ou caminhar (e muito, com a ressalva de que as ruas são vazias demais). O Cerro San Cristóbal é um dos refúgios dos chilenos nos finais de semana e é para lá que vão fazer seu pic nic, confraternizar com amigos ou mesmo andar de bicicleta. É interessante admirar a cidade lá de cima... ver seu traçado urbanístico e os principais elementos visuais: os andes, o rio mapocho, o cerro, dentre outros.
Já o cerro Santa Lucia é bem menor, mas não menos imponente. Possui uma fonte lindíssima, no estilo da romana Fontana di Trevi, com o personagem Netuno e seu tridente sobre as águas. Mais ao alto está o forte, utilizado por indígenas nas batalhas contra os espanhóis. A subida é dura e quase todo mundo a faz à pé, isso porque ninguém sabe que nas "costas" do cerro há um elevador discreto para quem procura mais comodidade! Assim, não se esqueça, quando chegar ao Cerro Santa Lúcia, faça o percurso ao contrário, entrado pelas "costas" e saindo pela frente... Você vai me agradecer depois por esta dica! rsrs
Depois que descer, esteja preparado para caminhar, à começar pelo Palácio de La Moneda. Inaugurado em 1805 para funcionar como a casa da moeda do país, o palácio tornou-se sede do governo 41 anos depois echegou a sofrer bombardeios em 11 de setembro de 1973. Foi no La Moneda que o ex-presidente socialista Salvador Allende, eleito em 1970, suicidou-se nesse mesmo dia, quando foi instaurado o regime militar comandando pelo ex-ditador chileno, o general Augusto Pinochet.
Só por sua importância histórica, o Palácio La Moneda já valeria uma tarde, mas o edifício costuma abrigar também exposições de arte. Aos fundos do palácio, sempre ocorrem mostras e exposições, como a dos carabineros, a polícia chilena. Para dar uma relaxada e pensar na vida, caminhe pelo calçadão em direção à Plaza das Armas, onde chilenos de diferentes origens sociais e turistas perambulam. No coreto, shows de música clássica e popular ocorrem quase que diariamente.
Em frente à praça, está a esplendorosa Catedral de Santiago, maior e mais importante templo católico do país. Embora a Catedral seja do ano 1748, sua primeira construção se deu em 1566, finalizando em 1600. Após séculos de muitos terremotos, a catedral permaneceu com a estrutura inabalada, mas optou-se por reconstruí-la para que tivesse proporções maiores, tal qual se encontra hoje. Em estilo neo-clássico, a fachada imponente da Catedral se confronta em meio ao modernismo do centro financeiro da cidade. Sua nave central é gigantesca, adornada por ricas imagens e ao teto se encontram afrescos de pintores italianos. Destaque também ao altar-mor, cópia da Catedral de São João e São Paulo em Roma, foi construído em Munique no ano de 1912, todo em mármore de carrara com aplicações de Lápizlázuli. À propósito, o lápisláluzi, para quem não o conhece, é uma pedra preciosa de rara tonalidade azul royal, existente apenas no Chile e no Afeganistão. Uma dica é trazer souvenirs da pedra para os amigos... aliás, um mimo concedido somente aos amigos mais especiais!
Nas redondezas da Catedral está a Paseo Ahumada, uma rua só de pedestres onde pode se passear e comprar... uma espécie de Calle Florida, guardada às devidas proporções. Primeiro que não tem o mesmo charme da similar portenha, segundo que não tem lojas tão interessantes e terceiro, que no Chile a população não é bela como na Argentina. Na Paseo Ahumada e suas "vizinhas" Augustinas e Huerfános é onde se econtram os famosos "Café com Pernas", ao estilo do americano "Hooters". Trata-se de uma cafeteria onde as atendentes usam microsaias, que hipnotizam a ala masculina e desperta a ira da ala feminina! Dá-lhe café!

Um pouco distante está o Parque Forestal (que se estende pela margem do rio Mapocho), criado na virada do século 19. Esculturas belíssimas de artistas renomados estão por todo o parque, como a que homenageia o desbravador Cristovão Colombo em suas navegações. Quase impossível não notar a imponência do prédio do Museu Nacional de Belas Artes, inaugurado em 1910, que divide o parque ao meio. O Museu é um passeio interessantíssimo, com ótimo acervo das belas artes chilenas e instalações admiráveis, como o belo teto de vidro.
O Mercado Central, que funciona das 6h às 16h, é o melhor lugar para apreciar as especialidades chilenas, principalmente frutos do mar. A construção de ferro pré-fabricada na Inglaterra e montada em Santiago em 1868, abriga barracas de peixe, como cação e salmão, baldes de ostras, mariscos, mexilhões, frutas e legumes. Os frutos do mar do Pacífico são bastante diferentes dos encontrados no Brasil e o salmão é considerado um dos melhores do mundo. Assim, puxe uma cadeira, escolha um bom vinho local e sinta-se bem longe de casa... Uma dica é o restaurante El Galeón, que oferece os pratos mais sofisticados e também, os mais limpos.
Já que estamos no âmbito gastronômico, não poderia deixar de mencionar sobre a nova febre local: "mote com huesillos", que é uma mistura de grãos de trigo cozidos com pêssegos desidratados. Uma mistura estranha e para falar a verdade, não tive nem coragem de experimentar! A aparência também não ajuda muito, mas lá comem isso aos montes, principalmente após algum exercício físico.... imagino que é o que substitui nosso revitalizante creme de açaí.
Agora sobre os vinhos... ah, os famosos vinhos chilenos! Quem for a Santiago e não conhecer as vinícolas de Concha Y Toro ou Causino Macul não pode se dizer ser um bom sommelier. Além de um passeio bonito, alí se conhece todo o processo de fabricação dos vinhos, desde a seleção das sementes que darão vida às novas parreiras, até a degustação de diferentes safras. Muitas lendas rondam o local, a mais famosa dela, materializou-se no rótulo Casillero Del Diablo. Tudo começou em 1883, quando o Melchor de Concha Y Toro trouxe da região da Bordeaux na França, as melhores mudas para o Chile. Estas se desenvolveram extraordinariamente bem no vale do Rio Mapocho e assim, o Melchor decidiu separar as melhores safras para consumo próprio em uma grande adega no porão de sua casa. Estranhamente os tonéis desapareceram e para evitar roubos futuros, o Melchor espalhou por toda a cidade que o diabo vivia dentro de sua adega e "dera cabo" de seus tonéis. Assim, quem ali adentrasse novamente, teria o imenso prazer de encontrar-se frente-a-frente com o diabo. A história se espalhou rapidamente pela cidade e houveram até relatos de pessoas que "realmente" o encontraram e a adega nunca mais fora saqueadas. Para saber mais acerca das vinícolas chilenas, basta clicar nesta opção no menu ao lado, na seção "especiais".
Outra bebida típica do chile é o Pisco, aguardente baseada fundamentalmente na destilação da uva que integra divesos coquetéis chilenos, como o delicioso Pisco Sour, uma mistura de limão, gelo, ovo (?), açúcar, angostura e claro, pisco.
No âmbito da diversão noturna, Santiago não é Buenos Aires nem Rio de Janeiro. Não é cidade festeira nos sete dias da semana e, comparada com outras capitais latinas, parece muito comportada. Dito isso, as quintas, as sextas e os sábados são bem agitados (talvez para compensar a falta de atividade do resto da semana), e uma multidão enorme e barulhenta sai para as ruas e os bares das áreas de vida noturna. Elas se dividem em três zonas principais Bellavista, Providencia e Nuñoa, cada qual com clima e clientela diferentes. Não se esqueça de que em Santiago os fins de semana só ficam animados bem tarde da noite, após 1 hora da manhã e o para quem procura diversão não pode perder a famosa Rua Suécia.
Santiago oferece ainda em suas redondezas, diversas estações de ski, tal qual Valle Nevado, Portillo, Colorado e Farellones. Na alta temporada (abril a setembro) pode-se divertir nas mais variadas atividades na neve, contando com infra-estrutura de excelente qualidade. Para quem não tiver muito tempo, um dia é suficiente para pelo menos conhecer a região, que ainda oferece passeios pelo Vale do Aconcágua.
Buen viaje!!

23 comentários:

Mile disse...

Bateu saudade de um amigo chileno que eu tenho. Lindas paisagens chilenas

Marcio Nel Cimatti disse...

Muito legal o post!!

Já guardei para minha primeira visita ao Chile!!

Abs

Rodrigo Neves disse...

Estive recentemente em Santiago. Sua descrição e sugestões são realmente boas e o texto muito bem escrito. Parabéns.

Regina Helena disse...

Adorei seu post! Você sabe qual é o visual da Cordilheira dos Andes no mês de janeiro? Estou pensando em conhecer a cidade nesse mês, mas acho que a cordilheira não deve ter mais neve. Bjs e parabéns pelo trabalho no seu blog!

Fê Costta disse...

Olá Regina!!

Obrigada pela visita!

Bem, a cordilheira tem neve eterna nos picos. Certamente que do avião você verá o belo visual, claro que não tão belo quanto no inverno, quando estão praticamente cobertas de neve, o que realça o relevo e as formas avantajadas das montanhas.

Se vc quiser fazer algum passeio que envolve a neve, tipo o Vale do Aconcágua ou às estações de ski (Valle Nevado, Portillo, Farellones, etc), estão todos fechados em janeiro. Na verdade vc pode ir conhecê-los visualmente, mas não há nada para se fazer.

Uma amiga foi em janeiro deste ano e as fotos dela de Portillo ficaram belíssimas, com uma paisagem completamente diferente da que eu conhecí, com muuuuuita neve!

Depois me conta se gostou da viagem e qualquer dúvida que tenha, não deixe de me comunicar.

Grande abraço,

Vitória Régia disse...

Parabéns pelos comentários.Vc retratou fielmente toda Santiago.Estive lá recentemente, e adorei tudo o que vi. Caminhei muuuuito!!! rsrsrs.. aliás o Chile superou minhas espectativas.Amei visitar a casa do Pablo Neruda,Valparaizo,Viña del Mar, bem como o Vale Nevado na estonteante Cordilheira dos Andes.O Chile é nota 10 e quem for até lá não vai se arrepender.

Anne disse...

Adoro Santiago e tb adorei os seus comentários sobre a cidade. Muito bom, parabéns!

CINTHIA RANGEL disse...

Fê,
Fui a Santiago no final de maio e início de junho deste ano e simplesmente AMEI aquele país! O povo é maravilhoso e muito educado. Adoram os brasileiros! O país realmente está a anos luz do Brasil, em termos de desenvolvimento!
Superou e muito as minhas expectativas, não pensei que fosse gostar tanto! Quem for, não irá se arrepender jamais!
Lindas as fotos,
Cinthia Rangel.

Bajzek disse...

Fê, gostei da sua descrição sobre Santiago. Eu voltarei para lá com minha família em junho de 2010...Eu já fui, mas o restante do pessoal não. Vou continuar lendo seus posts sobre o Chile...Abs!

Regina Helena disse...

Oi, Fê! Vou para Santiago mês que vem, mas vou passar só 4 dias. Como o tempo é curto, queria saber se devo deixar Viña del Mar de lado, já que vai ser inverno, ou se vale a pena ir apesar do frio. Outra pergunta é: você sentiu algum momento a terra tremer no Chile? Pergunto isso porque li que sempre há pequenos tremores lá. Desde á, agradeço pela reposta. Beijo! Regina.

Fê Costta disse...

Oi Regina!!

Que bom que agora vc vai, apesar do momento não ser muito adequado após o Brasil ter eliminado o Chile da Copa do Mundo! rsrsr

Brincadeirinha, o momento é ótimo! O clima perfeito para pegar o Chile como deve ser! Bem, Vinã Del Mar e Valparaíso devem ficar mesmo sem graça (e vazio) durante o inverno. Aconselharia vc ficar 2 dias em santiago, 1 dia nas vinícolas e 1 dia em Valle Nevado & Portillo. Acho este roteiro o ideal para 4 dias no inverno chileno.

Bjs e boa viagem!

Larissa disse...

Olá,
estou em contagem regressiva para minha viagem ao Chile... uhúúúl

Queria tirar uma duvida, sobre as termas do Chile. Não estou encontrando muitas informações.

Você sabe de algo? Tenho vontade de conhecer e dar um tibum, mas estou indo no inverno (01 a 06/08), será que mesmo assim rola? Como funciona, aonde encontro (proximo a santiago), quanto custa, e outras informações.

Meu roteiro está bem apertado, mesmo no inverno, queremos conhecer viña del mar e o cassino, valparaiso, tudo em um dia? Rola?

Chegaremos dia 01 (dom)às 10:45, este dia e dia 02, ficaremos em Santiago, no dia 03 viña del mar e valparaiso, dia 04 valle nevado, dia 05 viña udurraga e queriamos encaixar um banho em aguas termais neste dia.
Este dia 05 é o que está nos matando, queremos concilia a vinicula (a mais proxima da termas) e uma termas!

aguardo sua resposta bem rapidinho, ok?

Fê Costta disse...

Olá Larissa,

Não conheço sobre as termas do Chile. Valparaíso e Viña valem sim um passeio de 1 dia desde Santiago. As vinícolas são ótimas, vc vai adorar, sobretudo a Undurraga e a Concha Y Toro. Depois entra no post sobre elas (vinícolas chilenas).

Boa viagem!

Regina Helena disse...

Oi, Fê. Fui ao Chile em julho. Eu voltei apaixonada pelo país. Já não vejo a hora de voltar. Tive a sorte de pegar dias lindos lá, com sol, mas estava frio. O caminho para Valle Nevado é lindo. Fomos a Viña de Mar e Valparaíso porque o tempo estava bom. Para quem não tem tempo, vale a pena fazer as duas cidades no mesmo dia, mas é tudo rápido. Não fui a Portillo porque eram 5 horas de viagem (ida e volta) para ficar só uma hora lá, segundo a agência de viagens. Por isso, troquei o passeio para Viña e Valpa. E não me arrependi. Bjs.

Fê Costta disse...

Olá Regina!!

Que legal saber seu feedback sobre a viagem! O Chile é mesmo lindo, não? Também tenho muita vontade de voltar, pois as duas vezes que eu fui não foram suficientes para desbravar as belezas do lugar. Quero conhecer Puerto Mont, Puerto Varas, Torres del Paine, a região do Atacama e a Ilha da Páscoa... Pelo jeito vou ter que voltar mais umas 3 vezes ao país! rsrs

Bjos

Sérgio disse...

Olá, Fê, tudo bem? Estou pensando em viajar para o Chile em julho do ano que vem. Você acha que é uma boa época? Outra coisa: qual seria, na sua opinião, um tempo legal pra ficar em Santiago? Estou pensando em uma semana, o que você acha? Parabéns pelo excelente blog. Abraço!

Fê Costta disse...

Olá Sérgio!

Em julho Santiago é bem frio, mas o lado bom é que vc pode conciliar com os ski resorts, como Valle Nevado ou Portillo. Uma semana só em Santiago é bastante tempo, apesar de ser relativo para cada pessoa. Eu sugiro ficar 3 dias. Se for espichar até os ski resorts, reserve mais uns dois dias ou mais se quiser curtir a neve bastante.

Abs,

Do que eu gosto... disse...

Oi Fê!
Seu blog é muito bom!
Sua descrição de Santiago está perfeita, digo isso porque estive lá este ano e escrevi também sobre ela, não com tanta propriedade como você.Pretendo voltar pelo carnaval e vou seguir suas dicas para o que naõ conheci.

Armonia Gimenes disse...

Muito bom o seu blog. Seus comentários são pertinentes. Estive lá agora em 05/11/2010, fiquei 5 dias, amei o Chile,lindo, limpeza, ética, povo politizado e satisfeito com o presidente Sebastian Piñera. Até para uma água ou um chiclete eles dão a nota fiscal. Fui ao restaurante COCO e me encantei com o luxo e a criatividade, sem passar clima de ostentação. Dizem ser um dos melhores do mundo em frutos do mar. Amei, mas depois fui à Argentina e me decepcionei com Buenos Aires no geral.

Anônimo disse...

Boas suas dicas e sua impresão do meu país. Só queria dizer que atualmente o bairro suecia quase não existe como o que foi, pelo que é mais recomendável visitar "Patio Bellavista", que agora é o que foi suecia alguma vez.
O outro, paseo ahumada é um lugar que tem que conhecer, sim, mas só para caminhar e ver o povo... porque é mais bem um lugar para chilenos, cheio de bancos e lojas onde pagar contas... Não é como florida, não! Mas se quer boas lojas onde comprar terá que ir até os Shoppings no bairro alto da cidade, onde também encontrará que no Chile, ao igual que em todos os paises da américa (e tendo em conta os criterios da beleza que vc julga), também temos gente linda... falo dos ricos, com certeza!!

PS: a cordilhera está o ano inteiro com neve... só no verão que temos menos.

Douglas disse...

oiee tudo bem
estou pesando em fazer um intercambio para o chile oque vc axa,sabe me dizer qualseria a escola mais adequada e confievel.

Linux e Fotografia disse...

Gostaria de saber se no inicio Abril e possível ter contato com au neve em Santiago e região? Nao e necessário esquiar só ter contato mesmo.

Anônimo disse...

Adorei o post!!! Parabéns!!

Gostaria de ir meado de junho e ficar 5 dias. Vou com meus pais que são idosos (ele vai fazer 80 anos, por isso a viagem). Meu pai sempreeee falou do Chile e queria muito que ele fosse, porém ele não gosta de frio e nessa época vai esta bemm gelado né?? Mais ou menos quantos graus?? chega a incomodar muito?

tenho duas opções de datas, ou ficar 5 dias ou 9 dias. Qual sugere?

Não sei como se locomover por lá, já que ele não pode andar muito e eu não dirijo e meus pais não gostam de alugar carro de maneira alguma. Seria melhor taxi, metro, passeios com agencias locais??

Andei pesquisando e vi que tem um lugar que é uma escadaria para subir e terei que cortar esse passeio. Sabe outros que possivelmente não poderei fazer por causa do meu pai?

E por fim, ele ainda não tem passaporte e sua identidade tem mais de 5 anos de expedição, exceto a carteira medica dele que é recente e contem todos os dados (CPF, RG etc..) Serve??

Desculpe as mil perguntas rs

Obrigada!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...