Serra do Cipó

11 comments






















Depois de um tempo longe da civilização, estou de volta! Andei pela exuberante Serra do Cipó, paraíso ecológico situado há 100 km da capital mineira Belo Horizonte.

Por lá já estive mais de 10 vezes, mas sempre que volto, tenho a sensação de ser a primeira vez! Estar no meio daquela mata deslumbrante, com flora e fauna única, cheia de cachoeiras maravilhosas e uma cultura tão peculiar me encanta sempre! Me transporta para outra dimensão!! Desta vez, além de caminhar e cavalgar em meio à paisagens fantásticas, tive o prazer de conhecer uma dupla de cantores à qual desconhecia e acabaram por embalar meus dias naquele lugar: Victor & Leo. São dois mineiros de uma voz belíssima, com canções ainda mais belas que entoam a vida sertaneja. Quem ainda não conhece, que baixe-os no e-mule (tomara que eles não vejam esta dica... rsrsrs)
Bem, quanto à Serra do Cipó, é possível praticar trekking, canyoning, rapel, escaladas, cavalgadas e montain bike, além dos banhos refrescantes em quedas d´água lindíssimas, como a cachoeira da Farofa, cachoeira das Braúnas, dos Gaviões, das Borboletas, Véu da Noiva, Congonhas, dentre outras.
A maioria dos passeios é guiada para garantir segurança e tranqüilidade, como por exemplo, o roteiro do Travessão, penhasco estrondoso que divide as bacias do rio Doce e rio São Francisco. O passeio dura um dia, é dividido em 17 quilômetros de off-road e 12 de caminhada por afloramentos rochosos com pinturas rupestres, animais selvagens, samambaias de altitude, uma cachoeira, nascentes e vistas monumentais. Outro passeio indispensável é a rota da Capivara, região de campos rupestres onde afloram milhares de espécies de orquídeas e sempre vivas, além de abrigar a maior cachoeira e o maior poço da Serra do Cipó, passeio que também dura um dia inteiro. Na seqüência, é necessário trilhar para ver a estátua do Juquinha, andarilho que entregava flores a todos que passavam e que hoje faz parte das lendas do Cipó. Construída num platô com ótimas panorâmicas, a construção tem três metros de altura e está perto das velósias gigantes. Consideradas fósseis vivos, essas plantas chegam até seis metros de altura, sendo que a cada século cresce um metro.
Um passeio que não exige muito é a Prainha e a Cachoeira Grande. Ambas estão inseridas em um roteiro de fácil acesso e extensão inferior a 4 km. Estes dois locais podem ser visitados com o auxílio de um cão-guia. Isso mesmo, um cão-guia! A cadela da raça labrador, chamada Gabiroba, leva os visitantes a estas duas últimas cachoeiras em troca de carinhos e afagos. Basta chamá-la e dizer o nome dos lugares que a danada se "embreia" seguramente pelas matas e nos leva ao destino escolhido! Já fui com ela três vezes e é incrívell! Se você parar para tirar fotos, ela aguarda tranquilamente, mas também exige que você tenha a mesma tranquilidade quando ela cismar de entrar no rio e caçar as capivaras que estão por ali... É fantástico!
Para quem estiver bem disposto e gostar de caminhar tem que fazer o passeio à Tabuleiro. Trata-se da 3a maior queda d´água do Brasil, que exige 5 horas de caminhada puxada para a ida e ainda mais puxada para a volta. Parece asssutador, mas é compensador! A visão é lindíssima e as paisagens são mesmo inesquecíveis!
Orquídeas, quaresmeiras, copaíbas, bromélias, cactos e pepalantus povoam e denunciam o cerrado mineiro na Serra do Cipó, região absolutamente importante para a preservação de espécies raras e em extinção no mundo. Por isso foram criadas as reservas do Parque Nacional da Serra do Cipó e a Área de Proteção Morro da Pedreira, que dividem as águas dos rios São Francisco e rio Doce. Grutas e cavernas guardam inscrições rupestres de tribos primitivas que acreditavam no poder sobrenatural do desenho. O acervo de figuras entalhadas nas rochas de 1,7 bilhões de anos é como um museu natural que remonta aos primeiros habitantes do planeta Terra.

Os Bandeirantes e tropeiros também deixaram suas marcas ao buscar ouro e metais preciosos pelas mediações, enquanto escravos abriam o que hoje é a trilha que nos conduz ao topo da cachoeira do Véu da Noiva. Formadas livremente pelo relevo acidentado, as cachoeiras e corredeiras invadem as quebradas onde olhos ligeiros podem mirar sagüis, lontras, jaguatiricas, tamanduás, lobos, veados, entre outros animais selvagens.

Para relaxar de tanta caminhada e agitação nada melhor que comer muito bem (o que não é difícil em Minas), ouvir uma boa música regional e tomar uma cachaça (para quem gosta) à beira das estrelas, que parecem estar muito mais perto do que em qualquer outro lugar. A gastronomia mineira é famosa pelas carnes, couves, purês e misturas de feijão, como o tropeiro e o tutu. À noite existem opções desde os bistrôs "à la Cipó" com música de excelente qualidade, até boates montadas em meio à mata. Os restaurantes com música ao vivo são o Pátio Cipó, Panela de Pedra, Matuto Cipó e Petra´s.
Os municípios guardados pelo parque são Itambé do Mato, Jaboticatubas, Morro do Pilar e Santana do Riacho, onde fica a maioria de pousadas, restaurantes e serviços.
A infra-estrutura do local resume-se à pousadas, empresas de receptivo, restaurante, bares, dentre outros, lojas e um telefone público! É bom saber que não há posto de gasolina, banco ou caixa eletrônico, rodoviária ou transporte coletivo, hospital, chaveiros e peças para autos.
Se você não gosta de mosquitos, leve seu repelente. Não esqueça a câmera fotográfica, pilhas e baterias necessárias.

Atualmente o IBAMA libera 300 pessoas por dia para visitar o Parque Nacional, sendo que ao entrar se paga R$ 3 e é necessário assinar um contrato de visitantes. É proibido visitar os atrativos sem a companhia de um condutor ambiental, exceto a cachoeira da Farofa e o Cânion das Bandeirinhas.
Regras de preservação e respeito à natureza e aos animais devem ser seguidas com disciplina de exército, inclusive quem fuma cigarro deve levar um recipiente para bater as cinzas e guardar a guimba, tudo visando incêndios e depredações futuras.

Para Chegar: o principal acesso a partir da capital mineira é a Rodovia MG-10 depois de Lagoa Santa e Almeida. As principais companhias aéreas voam do Brasil inteiro para Belo Horizonte, e de lá saem cerca de seis ônibus diários para a Serra do Cipó. Para chegar de carro até BH origem São Paulo é necessário pegar a Fernão Dias.
Clima: Não há época ruim para visitar o Cipó. De dezembro e março, as cachoeiras e rios estão mais cheios, de maio a agosto, a temperatura é ideal. A época de seca vai de abril a novembro, quando a prática de rapel fica mais fácil.
Quem lê um post deste, logo pensa que eu sou a típica "natureba" que adora um mato, mas vou logo avisando: só gosto de mato com boa "infra-estrutura"! Existem aqueles que curtem mesmo é acampar no meio do mato, cozinhar o jantar numa fogueira improvisada e tomar banho nas cachoeiras... Mas depois de curtir o dia inteiro no mato fazendo trekking e outras coisas mais, gosto mesmo é de ir para uma boa pousada e usufruir do que a energia elétrica nos beneficia! Para quem tem o mesmo conceito que o meu, vou logo sugerindo 2 lugares fantásticos: Pousada Monjolos e Cipó Veraneio. Uma pousada mais rústica, mas com um super diferencial (a cadela-guia Gabiroba) é a Adega Cipó.

11 comentários:

CresceNet disse...

Oi, achei seu blog pelo google está bem interessante gostei desse post. Gostaria de falar sobre o CresceNet. O CresceNet é um provedor de internet discada que remunera seus usuários pelo tempo conectado. Exatamente isso que você leu, estão pagando para você conectar. O provedor paga 20 centavos por hora de conexão discada com ligação local para mais de 2100 cidades do Brasil. O CresceNet tem um acelerador de conexão, que deixa sua conexão até 10 vezes mais rápida. Quem utiliza banda larga pode lucrar também, basta se cadastrar no CresceNet e quando for dormir conectar por discada, é possível pagar a ADSL só com o dinheiro da discada. Nos horários de minuto único o gasto com telefone é mínimo e a remuneração do CresceNet generosa. Se você quiser linkar o Cresce.Net(www.provedorcrescenet.com) no seu blog eu ficaria agradecido, até mais e sucesso. If is possible add the CresceNet(www.provedorcrescenet.com) in your blogroll, I thank. Good bye friend.

Mile disse...

Eu amo a natureza, sentir o cheiro e respirar ar puro, ver cores, ver bichos, mas nao troco a comodidade de um hotel/pousada por me aventurar num acampamento.
Lindo esse lugar

A COR DO MAR disse...

Ha tantos paraisos neste mundo, e esse eu adorava conhecer, pois dve ser de uma beleza enorme.

Uma boa semaninha para ti
Beijinhos**

- Tenho lá mais fotos de Obidos)

Leo disse...

Ei Nanda!!! Muito bacana essa matéria à respeito de um dos lugares mais bonitos do Brasil!!! As fotos ficaram ótimas e me deram muitas saudades de lá!!! Sugiro também a pousada Fazenda do Engenho, que tem uma vista linda do parque ecológico em cada uma das varandas de seus chalés muito bem montados e distribuídos, além de ter um café da manhã dos sonhos! Já tô doido pra voltar!!! Sempre vivi ótimos momentos por lá!!!

bjão,

Leo

comofazer disse...

Não a lugar melhor para descançar, mais informações no site www.portalcipo.com.br

Anônimo disse...

Serra do Cipó, acho que não a lugar melhor para descançar, para mais informações , www.portalcipo.com.br.
Abraços.

Anônimo disse...

Não conheço este lugar, mas sua descrição sobre ele foi ótima. Estou indo está semana.

Leticia disse...

ahhhhhhhhhh
este lugar é minha maior paixão!
Lindas cachoeiras!
Um lugar relaxante onde você equece da correria do dia-a-dia.
Pra quem curte esportes como a Nanda disse, lá se pode praticar vários esportes!
E com certeza podem seguir a dica sobre Vitor e Léo! Dupla fantástica...sou fã! rsrs
beijos galera...

Anônimo disse...

Indo ao Cipó, procurem o Rildo,filho da Ana.
O garoto nasceu ao pé da serra e cresceu por lá.
É um ótimo guia. Conhece tudo.
Além de excelente instrutor de escaladas.

Anônimo disse...

the useful info you presented do help the investigation for my group, thanks.

- Lucas

Anônimo disse...

Oi lá tem como alugar os matérias para essas aventuras...sou marinheira de primeira viagem no quesito adrenalina! Rsrst

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...