Dicas práticas Budapeste

11 comments
Para se chegar à Budapeste, é possível escolher qualquer modalidade de transporte. Trens de todas as capitais vizinhas desembarcam aqui. De ônibus, é possível vir de qualquer cidade européia via Eurolines. Por avião, centenas de companias, além da local Malev, pousam diariamente no Aeroporto Internacional de Ferihegy. Há ainda a romântica opção de vir de barco pelo rio Danúbio, vindo de Viena ou Bratislava.

como se locomover
Em Peste, que é a parte plana da cidade, é melhor conhecê-la à pé. Enveredar pelos seus quarteirões aristocráticos e desfrutar cada monumento, praça e café só mesmo estando em marcha lenta para curtir como deve ser. Se cansar, pegue um requixá – sim, esta modalidade já chegou lá! – ou mesmo o metrô, que cobre de maneira eficiente os pontos turísticos, bastando comprar um ticket de 1 a 3 dias. À propósito, o metrô mais antigo da Europa pertence a Budapeste e ainda hoje está em funcionamento (pegue-o quando for à Praça das Armas).


Já no lado montanhoso da cidade, em Buda, pode até ser interessante caminhar, mas é preciso ter mais tempo e disposição, já que os atrativos são relativamente distantes um dos outros (exceto o Castelo, a Catedral Mathias e o Bastião dos Pescadores que estão bem próximos). Assim, achei interessante andar de ônibus Hop on Hop off e descer exatamente no que precisava ser visto naquelas bandas dali. O ticket do ônibus dura 24 horas e custa 3000 HUF, aproximadamente USD 15.



onde se hospedar
Você pode se hospedar tanto em Buda como em Peste. Ambas as áreas oferecem ótimas opções para qualquer tipo de bolso. Eu achei bastante interessante como Peste tem uma grande oferta de apartamentos para curta locação, que possuem de 1 a 4 quartos. São edifícios novos, bem montados e muito bem localizados. Eu estive no King Apartments e recomendo.

Em Buda, uma boa sugestão para quem procura conforto e bom gosto é o Hilton, que está muito bem inserido na rua mais medieval de Budapeste, com uma linda vista sobre o Danúbio.



o que comer
A comida húngara me apeteceu bastante. Diria ser um misto da alemã com a russa, com muita carne vermelha, batata e páprica. O prato mais famoso da cidade é a Goulash, que é uma espécie de sopa apimentada com carne cozida e feijão, entretanto a oferta gastronômica é variadíssima e atende aos paladares mais exigentes.


O restaurante mais tradicional da cidade é o Gundel, que funciona desde o século XIX no mesmo local e oferece o melhor da gastronomia húngara com sofisticação. Se estiver no centro próximo à Catedral de São Estevão, aproveite para comer no Boxtuca, que apesar de mais despojado também possui uma comida excelente! Pelas rendondezas da rua Váci coma o legítimo Goulash no restaurante Anna. Não se esqueça de experimentar as deliciosas sobremesas do café Gerbeaud. Em Buda, vale à pena um jantar no restaurante medieval Sir Lancelot Knights.


Língua, dinheiro e diversos
A Hungria é ainda um país barato quando comparado a Europa ocidental, mas tão logo seja também adepta do euro sem dúvida o cenário será outro. Inclusive, isso a torna bem econômica que a vizinha Viena, que segundo o “índice Big Mac”, pode ser até 50% menos onerosa. Então aproveite para ir antes de 2014, data limite para implantação do Euro. A moeda atual é o Florim (Forint em húngaro) que vale 1/5 do dólar americano, conforme cotação de novembro de 2010.


O idioma local é o magiar, tido como um dos mais difíceis do mundo, com parentesco mais próximo – ainda que distante – do finlandês. Jizúis!! Isso é pior que grego! Já dizia Chico Buarque “é a única língua que o diabo respeita”. Daí você já pode imaginar o astral dos húngaros: sisudo, semblante carregado, ressabiado, de poucas palavras... Arrancar um sorriso da geração atual dos magiares é difícil. Talvez tivesse sido mais fácil há séculos atrás, quando ainda vinham acumulando vitórias. Depois da queda do Império Austro-Húngaro, do fracasso na II Guerra Mundial e do colapso da União Soviética, ficou uma rusga na população. Um legado histórico difícil de lidar.

Considere isto e releve quando estiver no hotel, no restaurante, café, aeroporto, metrô, táxi, loja, etc... e curta Budapeste! Aqui só mesmo os canteiros tem flores...

11 comentários:

Le disse...

Que fotos lindas! Mas o restaurante e maravilhoso. Beijos

Claudia Liechavicius disse...

Fê!
Fiquei tentada a enveredar por essas bandas. Depois de ler teus posts e o da Katia...
Já está na minha lista de desejos!
Beijos
Claudia

Margarida Nobre disse...



As dicas estão fantásticas,mas não posso concordar com vc relativamente ao carácter sisudo dos Hungaros!
Fomos super bem atendidos em todo lado desde que aterrámos em Budapeste...no transporte para o hotel,no hotel(serviço fantástico e incrível simpatia!),nos cafés e nos restaurantes!Para vc ter uma ideia, quando fomos assistir ao espectáculo no Club de Jazz chegámos uma hora mais cedo enquanto decorria outro concerto.Fomos logo convidados a entrar e assistir a esse também!!
É engraçado como as experiências das pessoas diferem mesmo visitando os mesmos lugares...

Beijo grande

Fê Costta disse...

Olá Le, obrigada! :)

Fê Costta disse...

Ei Claudia,

Acho que vc vai adorar mesmo!
A Margarida também tem dicas ótimas! :)

Fê Costta disse...

Margarida, que incrível!

Eu não achei os húngaros nem de long simpáticos... E olha que eu estava em um grupo de 6 pessoas que compartilham da mesma opinião. Restaurantes, pontos turísticos, metrô, táxis, hotel. Em todos os lugares, achamos a população um tanto quanto insatisfeita e má educada.

Talvez não tivessemos sido simpáticos o suficiente para receber um feedback positivo.... hahah

Enfim, turismo é isso mesmo. Um mesmo destino visto sob óticas diferentes torna as experiências distintas. :)

Bjo grande,

Gata Verde disse...

Anseio por visitar esta cidade,por isso as suas dicas são preciosas!
:D

Viagem Afora disse...

Fê, ótimas dicas!!
Deu saudades de Budapeste !!!
Bjs

Liana disse...

Ai Budapeste é o maximo. Voltei de la e amei!

Pri Cassou disse...

Amei a reportagem!! "Por acaso" vi sua reportagem sobre navios no Brasil (sou tripulante de navios) e acabei entrando no blog pra conferir. E aí vejo essas lindas e completas reportagens sobre a HUNGRIA, onde morei e pretendo voltar a morar em breve.

Obrigada por me fazer relembrar de todas as coisas lindas que me esperam lá. Budapest é, sem dúvidas, uma cidade incrível e cheia de encanto. E qt ao idioma: pode ser difícil, mas qd se começa a aprender o país ganha ainda mais "cores".

Sucesso pra ti!

Fê Costta disse...

EI Pri!!

Que legal, vc morou em Budapeste!! E pelo jeito aprendeu o magiar, estou certa? Puxa, deve ser muito difícil, entretanto, como vc bem falou, deixa o país mais colorido! Comunicação é fundamental e abre muitas portas, não é diferente no mundo Húngaro.

Bjos e obrigada pela participação! :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...