Mianmar - muito além de Yangon...

13 comments

Yangon é ainda hoje o principal centro do Mianmar, embora a capital administrativa do país tenha sido movida em 2005 para Nay Pyi Daw, há 320 kms de distância. Fundada no século XI, a cidade teve importância fundamental nos tempos gloriosos da antiga Birmânia e floresceu em diversos âmbitos, porém, em decorrência do regime político atual se tornou uma cidade sem grande expressividade na região e ficou completamente congelada no tempo.


Seu patrimônio histórico-cultural é invejável, sobretudo no que tange a templos religiosos. As conhecidas pagodas são uma constante na cidade e é possível vê-las pipocarem no horizonte com seu amarelo-ouro reluzente. A principal é a Shwedagon Pagoda, com 2500 anos e mais de 100 metros de altura, cobertas com 8 toneladas de ouro, 2 mil rubis e 4 mil diamantes - o maior deles com 72 quilates!!! Uau!



O complexo da Shwedagon Pagoda ainda é formado por diversos prédios que lembram a arquitetura tailandesa, todos com uma decoração minuciosa linda. Aberta de 4 da manhã às 10 da noite, a pagoda é um passeio fenomenal para um dia inteiro. Vale a pena observá-la sob as diferentes luzes ao longo dia e da noite:

Outras pagodas, não tão imponentes quanto a Shwedagon, mas ainda assim bem bonitas, são a Sule Pagoda, Kaba Aye Pagoda e também a Chaukhtatgyi, que possui o maior Buda deitado de todo Mianmar. A figura impressiona pelo seu gigantismo, com 55 metros de comprimento e também pela delicadeza dos traços. Os pés são um capítulo à parte, ricamente decorados e em posição diferenciada à habitualmente encontrada pelo sudeste asiático.



O lago Karaweik também é uma parada obrigatória na visita a Yangon, para admirar a espetacular barca real. Como dito no post anterior, esta é uma imagem presente na minha cabeça há mais de uma década e vê-la ao vivo foi um momento mastercard!


Yangon é uma das cidades mais subdesenvolvidas do sudeste asiático. A grande maioria da população é rural, embora seja possível observar modernismos típicos de qualquer metrópole internacional, como Londres, Nova York ou São Paulo. O contraste é forte, basta conferir abaixo:



Um fato curioso na cidade é que os carros tem o voltante na direita - herança do colonialismo britânico -  entretanto o sentido das ruas estão na mão inversa. 

Para quem gosta de feira, a Scott Market é cheia de artesanatos exóticos maravilhosos, daqueles que a gente encontra em lojas chiquérrimas no Brasil por uma fortuna. Aqui é tudo barato! Outra feira legal de se conhecer é a street market, onde o comércio de frutas e verduras rola solto nas ruas do centro da cidade.


Para se hospedar na cidade, recomendo o agradável Hotel Savoy. Ele fica sediado num casarão colonial com uma decoração rústica maravilhosa, perfeito após um dia exaustivo de passeios pela cidade. As redondezas oferecem ótimas opções de bares e restaurantes, porém há que se ter cuidado com os grandes buracos nas calçadas, um problema comum em toda Yangon, que fica ainda mais perigoso à noite.


Deixando Yangon para trás, fui até a enigmática Bagan, que será mostrada no próximo capítulo. Todo o passeio pelo país foi feito em companhia da agência Myanmar Voyages, que tornou nossa viagem ainda mais interessante. Nossos amáveis guias nos mostraram todas as belezas do país e souberam como ninguém nos dar uma aula de história e cultura local. O passeio - pasmem - custou a módica quantia de USD 460/ pax incluindo 4 noites de hotel 5* com café da manhã, todos os passeios em Yangon e Bagan, incluindo as entradas e ainda 2 aéreos (yangon-bagan-yangon). Aos possíveis interessados, deixo a dica de aproveitar enquanto o país ainda é acessível, pois depois que o embargo dos EUA acabar - e parece que está próximo - certamente a brincadeira vai ter um dígito a mais.


Ps: o trocadilho "Muito Além de Yangon" (Beyond Rangoon) utilizado no tema do post é uma referência ao filme de mesmo nome, onde a atriz Patricia Arquette vive uma personagem perturbada com a trágica perda da família e encontrou no Mianmar uma nova força para viver, um retrato emocionante do que o país vem vivendo nas últimas décadas! Vale à pena conferir!


13 comentários:

De - Meu estilo é assim disse...

Menina, eu jamais conheceria esse lugar se não fosse pelo seu blog!
Viaggio Mondo é cultura pura!
Bj pra vc!

Fê Costta disse...

Ei De!!! Que bom que curtiu!! ;)
Bjao e obrigada!

Inês disse...

Oi Fe minha pergunta é sobre a Turquia mas não consegui postar um comentário por lá. Você indica algum lugar em Istambul para assistir um show de dança do ventre.
Parabéns pelo blog

Gilson disse...

Oi, Fê Costta. Excelente seu post sobre Mianmar. Parabéns! Estou planejando um grande viagem pelo sudeste asiático (Thailândia, Laos, Vientã, Camboja e Mianmar). Começando em dezembro de 2013 e indo até começo de Fevereiro de 2014. Queria saber se essa agência que você, a Myanmar Voyage, é do governo ou é particular. Grande abraço e parabéns mais uma vez.

Fê Costta disse...

Oi Inês!
Não tenho nenhum para indicar, mas lá vc acha fácil nos restaurantes em Sultanahmed.

Fê Costta disse...

Olá Gilson!
A Myanmar Voyage é particular. Muito boa, super recomendada! :)

Gilson disse...

Ótimo, então! =) Já entrei no site seguindo seu link. Vou entrar em contato com eles por e-mail! Não quero contratar nada que seja do governo devido às questões políticas! Muito obrigado, mais uma vez.

Teté Lacerda disse...

Estou pra lá em breve! queria saber como se locomover dentro do país, conheço pessoas que viajaram de avião e de barco. Obrigada pela dica da empresa que fez seus tours, vou entrar em contato. Estou super animada! ótimos posts, como sempre, super informativos.

Fê Costta disse...

Olá Tetê, tudo bem?

Que legal que vc vai para o Myanmar!! Vai amar!!! É um dos lugares que eu voltaria sem dúvida!! :)

A empresa que eu usei é excelente!!
Eu usei avião para me locomover pelo país. Fui de Yangoon a Bagan e vice-versa. Tem gente que vai de Yangoon até algumas cidades mais distantes através de barco, como naquele filme "Muito Além de Yangoon", mas acredito que deva ser longa e exigir um tempo maior de permanência.

Bagan é maravilhosa, um lugar encantado, mágico!! Amei!!! Não deixe de fazer um passeio de carroça e meio aos templos antes do pôr-do-sol, é magnífico!!

Depois me conta se gostou!

Bjos!!

Fê Costta disse...

Olá Tetê, tudo bem?

Que legal que vc vai para o Myanmar!! Vai amar!!! É um dos lugares que eu voltaria sem dúvida!! :)

A empresa que eu usei é excelente!!
Eu usei avião para me locomover pelo país. Fui de Yangoon a Bagan e vice-versa. Tem gente que vai de Yangoon até algumas cidades mais distantes através de barco, como naquele filme "Muito Além de Yangoon", mas acredito que deva ser longa e exigir um tempo maior de permanência.

Bagan é maravilhosa, um lugar encantado, mágico!! Amei!!! Não deixe de fazer um passeio de carroça e meio aos templos antes do pôr-do-sol, é magnífico!!

Depois me conta se gostou!

Bjos!!

Joana disse...

Oi Fê, tudo bem? To planejando minha viagem pro Sudeste e pensando em incluir Mianmar. Você poderia me explicar melhor quantas noites ficou em cada cidade e se achou que foi muito/pouco/suficiente?
Grande beijo

Alexandre Borges disse...

Eu gostaria de saber como tirar o visto no Brasil considerando que moro em SLZ? Também gostaria de consultar se alguém já praticou o visa on arrival? Como fazê-lo?

Camila Alves disse...

Oi Fê!
Por gentileza, me tira uma duvida?
Esse pacote que fizeste incluiu todos seus dias no Myanmar? Os dois hotéis que indicaste?
Obrigada beijo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...